26 dezembro 2012

Fanfic: Mermaid no Uta - 1º Capitulo

Nada haver com a Fic u.u'
Yoo Minna ^^
Quanto tempo, nom? o3o' Bem, eu vou tentar hoje de terminar o Hanatsuki Hime, então eu decidi postar umas das minhas fanfics, eu estava postando em outro blog, mas acho melhor postar aqui, depois eu vou deletar tudo lá mesmo o3o''. Essa história fala de Sereias, ou como eu prefiro falar "Demonio dos Mares", é um pouco de terror, mas só em algumas partes, eu não consigo ficar em um genero a fanfic toda ... Então, vamos logo ao capitulo?

Primeiro Sinal
Nayara acorda no meio da noite. Acorda usando o MP3/Headfone. Vai direto para o banho, fica lá escutando música por alguns minutos... Saí de casa umas 2:40 da manhã e vai para praia. Nayara tinha olhos claros, cabelo liso, batia um pouco acimada cintura, castanho normal e partia ele do lado direito e cobri o olho esquerdo com a franja. Na praia encontra uma garota de olhos claros, cabelos um pouco ondulados, ruiva, com cabelos no ombro.
- Conseguiu algum sinal Prim-sama?
- Nadinha, nenhum sinal...
- Encontrou algum Iagami?
- Nenhum também..
- Ainda bem.. Então, eu vou fazer a patrulha, vai ficar aqui?
- Eu posso ir com você, Nay-chan?
- Você sabe que eu recebi ordens muito claras para nunca te levar na patrulha e manter os Iagamis longe de você... E você ainda nem se transformou...
- Droga. É muito chato aqui em cima, pelo menos posso nadar no mar?
- Se algum humano nos vem, teremos problemas piores ainda...
- É madrugada, todos estão dormindo...
- Desculpa Prim-sama, ordens são ordens... Também não queria segui-las...
-Droga! Eu odeio ficar aqui!
- Somos duas... Espero que você consiga encontra-lo rápido...
- Nay-chan, eu sei que você está aqui só para me proteger... Mas você também não tem que encontrar o seu?
- O meu oque?
- Você sabe do que estou falando! Você já tem 16 anos, já deveria ter achado, eu ainda estou com 15.
- Prim... Você sabe que sou contra isso, apesar de minha mãe ter me obrigado, eu não posso...
- Mas você sabe que se você não fizer, você sabe que a qualquer momento, se você encontra-lo só por coincidência... Você pode ter um ataque não resistir...
- É por isso que não vou encontra-lo... Ano passado eu vim para cá e fiquei pouco tempo, já conheço essas pessoas, ninguém é especial...
-Hum.. Então você que sabe...
- Então estou indo patrulhar, Prim-sama...
- Você sabe que não precisa ficar me chamando de ‘sama’, aqui eu sou apenas a sua prima ^^
- Tudo bem, Prim-chan.
Nayara começou a ir para a cidade, abandonada por causa da madrugada... Pegou uma lista que aparecia nomes de pessoas, era como se esses nomes estivessem sendo apagados e novos estivessem sendo reescritos o tempo todo...
- Parece que não tem nenhum Iagami em um humano perto... Vou ter que procurar na marra mesmo... – pausa – O que Prim tinha na cabeça... Odeio isso, nunca faria só por ‘obrigação’...
Nayara para no meio da rua. Ela começa a ouvir uns barulhos esquisitos... Ela encosta no headfone, no fone direito, começa a rodar ele, como se tivesse um circulo móvel no meio, começa a sair uma música um pouco lenta... Ela começa a cantar, coloca o cabelo atrás da orelha, onde dava para ver no seu olho esquerdo, uma marca, que começa a mudar de cor junto com  as pontas do seu cabelo, começam a ficar rosas e roxo. As roupas começam a mudar, de um momento para outro ela estava com vestido roxo e rosa com babados pretos. Ela continuou cantando, ate que ela sentou no meio da rua, fechou os olhos, prestou bem atenção, divagar pegou um punhal que ficava em baixo da saia do vestido, segurou firme na mãe, ainda de olhos fechado. Silencio. Prestou mais atenção... Deu um sorriso irônico e começou a lançar os punhais. Quando abriu o sue olho, havia uma gosma preta borbulhando na calçada. Se levantou, se limpou, balançou o cabelo e disse
- Bem na mira...
Depois de hora caçando Iagamis, começou a ficar cansada e foi para casa, chegou umas 5:40.
Girou o fone de novo e a roupa junto com os punhais desapareceram. Trocou de roupa, arrumou a bolsa, ajeitou o cabelo para cima do olho para esconder a marca, tomou café e saiu de casa. Ficou na frente de casa, eram 6:05. Um carro chegou, era o seu transporte, Prim estava lá dentro. As duas sentaram no fundo do carro, que era um doblo.
- Encontrou quantos? – Prim perguntou
- Uns 9..
-Tudo isso??
- É, mas não tinha nenhum possuindo humanos...
As duas chegaram na escola, cada uma foi para a sua turma.
No intervalo, Nay estava lanchando no terraço. Estava comendo um bolo de chocolate...
De repente, um garoto chegou correndo. Mal percebeu que Nay estava lá. Ele era do 1º ano, enquanto Nay era do 2º. Ele se escondeu e logo depois uns garotos do 3º ano chegaram
- Cadê ele? – um deles falou
Um que estava no grupo foi direto para onde ele tinha se escondido, pegou ele me gola da camiseta e jogo-o no chão e disse:
- Está aqui!
- Então, cadê o nosso trabalho de física?
- E-eu não pude fazer, estou também em época de prova  - falou com medo
Nay se levantou e gritou:
- Deixa ele em paz!
Seu headfone começou a tocar a mesma música de antes, pegou a lista e viu que o nome daqueles veteranos estava lá...
- Explica tudo – pensou – Alguns possuídos.
Começou a cantar junto com a música e se transformou de novo, pulou para frente do novato, olhou para traz e disse
- Ei! Qual é o seu nome?
- K-kei... – gaguejou ainda com medo
- Kei-kun, é melhor você fechar os olhos, a cena vai ser muito forte para você.
Nay pegou os seus punhais, colocou o cabelo para tras, Kei fechou os olhos como ela tinha mandado.
Os veteranos olharam para o chão, quando olharam de novo para ela, sua pele estava cinza claro, olhos amarelos, e uma língua de cobra.
- Ora, ora, veja oque encontramos, uma lanchinho...
- Vamos ver quem vai virar lanche agora..
Eram 4 Iagamis contra Nay. Eles começaram a cercar ela, ela deu um pulo, como se a gravidade estivesse ajudando-a, indo para o outro lado do terraço e gritou:
- Foge KEI!!!!
Kei desesperadamente pegou suas coisas, ainda de olho fechado, quase chorando, correu para onde estava escondido antes
Nay começou a jogar punhais  sobre eles, Iagamis eram muito rápidos, mas esses nem tanto...
Nay conseguiu matar eles com mais facilidade...
O cenário estava sujado de sangue, havia um pouco do seu vestido e no seu rosto.
Quando Kei percebe que a luta já tinha acabado, sai de onde estava e vai ver oque aconteceu. Quando chegou lá ficou paralisado, em ver aqueles corpos jogados no chão cheio de sangue. Começou a chorar, começou a andar para traz de vagar ate que caiu no chão. Nay se aproximou dele, se abaixou, ele já estava encolhido. Nay encostou no queijo dele e levantou a cabeça dele levemente e disse:
- Eles já tinham morrido a muito tempo.
Kei começou a tremer de medo, em ver aquele rosto cheio de sangue. Kei era frágil, olhos escuros, cabelo castanhos escuros, curto e liso.
Nay olhou para os olhos dele. De repente, seu coração começou a bater alto, até que ela se levantou, começou a ficar com falta de ar. Caiu no chão, tirou o fone do ouvido, estava normal. Mas no mesmo momento em que tirou o fone headfone da cabeça, as suas roupas saíram, e ela estava na sua forma original. Uma sereia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário